Home

26/2/2011, sábado

Facinho, facinho: é só ir até a rodoviária e comprar um bilhete para São Miguel do Gostoso. Não que houvesse muitas opções, na verdade só 2 por dia, sobre as quais já havíamos nos informado previamente. Mas, o incrível foi conseguir passagem de volta pra Natal: ou se acorda às 4h da manhã, ou se chega após o pôr-do-sol, quando não se conseguem mais passagens para lugar algum (na volta de São Miguel do Gostoso para Natal, deveríamos pegar um ônibus direto para Pipa). Bom, por outro lado, vale muito a pena: enquanto que de carro pagaríamos cerca de 200 reais, o ônibus era 10 por cabeça. Poxa, dá pra passar dois dias inteiros passeando de buggy! =)

Pegamos o ônibus das 12h15, que chegou em Gostoso às 14h40, após uma breve parada em Touros.

A estrada foi inspiradora, quando não havia extensas plantações de coqueiros, carregados de apetitosos cocos verdes, eram desertas estradinhas de terra, cercadas de casas e muros simples e de cores desgastadas pelo vento-tempo.

Coqueirais

Pequena vila ao longo da estrada

Após sermos devidamente recebidas pela famosa placa “Aqui se faz Gostoso”, pedimos ao motorista que parasse na Praia do Maceió, a última da cidade, logo após as Praias do Cardeiro e da Xepa, e – pimba – estávamos a 50 metros da pousada.

Jardim da Pousada dos PonteirosMirante da Pousada dos PonteirosQuarto da Pousada dos Ponteiros

A primeira coisa que fomos fazer foi almoçar, claro. O restaurante na esquina da pousada já foi o restaurante da própria pousada, que hoje é o Xique-Xique. O “exocitado” chama-se Macambira e foi uma excelente acolhida na cidade! Comi um peixe grelhado com abacaxi e gengibre + bolinho de macaxeira com queijo e foi formidável.

Bom, a digestão foi baseada em uma caminhadinha na Praia do Maceió – desertíssima, com alguns kitesurfistas e barcos de pescadores aguardando a madrugada para correrem ao mar. Após o pôr-do-sol, fomos tomar uns drinks (tipo mojito de morango…) no Hibiscus, restaurante de duas adoráveis baianas vindas diretamente de Arraial D’Ajuda. Fiquei impressionada com a capacidade delas de se acostumar àquela calmaria. Calmaria mesmo – só havíamos nós no restaurante! Experimentei um abadejo com crosta de gergelim e risoto de espinafre – maravilhoso… Gente, essa cidade só tem comida boa!

27/2/2011, domingo

Depois de acordar cedinho e ficar no solzinho até o restaurante abrir para o café-da-manhã (8h), pegamos um buggy e fomos conhecer a famosa Praia de Tourinhos. Bom, ao contrário das empresas de Natal, em Gostoso dirigir um buggy é apenas um complemento da renda, pois esse trabalho só dá mesmo na alta temporada. E mesmo assim, não é lá aquelas coisas. Isso foi suficiente para o nosso buggy ter seu pneu furado no primeiro quilômetro. Mais uma esperinha, e qual não foi nossa surpresa quando chegamos em menos de 15 minutos ao destino – a distância era de apenas 8km! Dava pra ter ido à pé… Bom, mas o interessante é que no caminho fomos parando para ver os vestígios de desova das tartarugas, junto de pequenas plaquinhas indicando a localização dos ninhos.

Chegamos em Tourinhos às 9h30: uma praia calma, pequena e de água deliciosa!

Vista da Praia de Tourinhos sobre as dunas solidificadasNa Praia de Tourinhos, vista das dunas petrificadasFutebol rolando na Praia de Tourinhos

 

No retorno, passamos pelo Reduto, onde teoricamente se vende artesanato, mas com o baixo movimento não havia ninguém nas ruazinhas de terra vermelha e nem nas janelas. Voltamos sentindo o ventinho na cara e paramos para relaxar no Bar do Jack Sparrow! Belo nome, estava cheio de senhoras cariocas esperando o Johnny Depp aparecer, mas que nada.

Bar do Jack Sparrow, na Praia do Cardeiro

Umas cervejinhas depois, voltamos para almoçar no próprio restaurante do hotel, também bem famoso, o Xique-Xique. Depois de um beeeelo banho na piscina, experimentei um abadejo grelhado com legumes e farofa de banana. A farofa estava uma delícia, mas achei o restaurante bem mais caro que os outros, e nada que o justifique.

Bom, um cochilo na rede foi mais do que conveniente. Embaixo de uma sombrinha, fugindo do sol forte, mas sentindo um calorzinho embalar o sono… Ai, ai!!! Queria isso nos dias da minha semana, após o almoço no trabalho!

Mais um pouco de piscina e, após um banho e o pôr-do-sol, fomos conhecer a Madame Chita, restaurante vizinho à pousada, e todo descoladinho. Também achei meio carinho – lá são servidos crepes, especialidade da casa. Os drinks eram bem gostosos.

Encerramos a noite com um passeio pelo centro da cidade, onde a finalização de uma missa na igrejinha recolhia as famílias de volta a suas casas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s